No Breu da Loucura

No Breu da Loucura

Não sou eu um morigerado
na hipocrisia eu não caio
meu raciocínio empoeirado
encara improviso ou ensaio

Eu não estou derronchado
sequer partido por um raio
não sou mártir crucificado
nem no dia primeiro de maio

E quando a sina fica preta
a poesia vicia como boleta
que tanto mata quanto cura

No meu universo das letras
em versos, rimas e mutretas
fiat lux no breu da loucura.

Wasil Sacharuk
novembro 2009

Esse site é apoiado por INSPIRATURAS