Com Cara de Pina Colada

Com Cara de Pina Colada

Cheguei nesse bar na madrugada
estava sozinho e lavei alguns copos
e os emborquei em frente ao espelho
fechei a janela e desliguei o aparelho

Na gaveta só havia algum troco
uma nota de cinco toda amassada
de alguma carteira foi expatriada
talvez de boêmio, poeta ou louco

E ainda bati no balcão meu joelho
segurei o chaveiro de pé de coelho
soltei um grunhido seguido dum soco
parece que a sorte pegou a estrada

E frente ao pior isso tudo é nada
juntei algum rum no leite de coco
ficou parecido com pina colada
no terceiro copo baixou o caboclo.

Wasil Sacharuk
novembro 2009

Esse site é apoiado por INSPIRATURAS