POETA CRUZALTINO


POETA CRUZALTINO

Pampeano é meu canto
O ocaso dos reversos
Ensinei rima a amar
Traduzi encanto em versos
Ao subir morro eu Decimar

Cruzei a fronteira da cruz
Reuni em quatro estrofes
Um poema livre de amor
Zombei da razão com jus
A partir de um soneto
Libertei o aroma da flor
Trabalhei os dois quartetos
Insisti que não iria contar
No entanto, foi nos tercetos
Ouvi o chamado e Decimar.

Wasil Sacharuk

Inspiraturas