Imponência da Pedra

Imponência da Pedra

Natureza fez-me pedra,
exibe minha imponência
ante o sisudo tempo.
Sou mística,
sou solidão, alimento-me
de olhares, sou destaque
das montanhas,
âs vezes em solais!
sou indecifrável

Os tempos levam as gemas,
inibem minha opulência
oculta em sedimentos.
Não sou cristalina,
sou dura, inerte, insolúvel
polimórfica, sou barreira
das entranhas,
e não interpreto sinais
sou impenetrável..

Posso ser ouro
de diversos quilates,
quando crua, ignorada,
se lapidada...
sou gema cobiçada,
desperto olhares longínquos
sou riqueza nacional,
sou pedra preciosa
Sou ganância mundial!

Sou um tesouro
para esses mascates,
me sinto nua, roubada
quando explorada...
sou riqueza passada,
na mão de desejos oblíquos
tenho a certeza abissal,
da beleza generosa
Sou da vida natural.

Diná Fernandes & Wasil Sacharuk

Inspiraturas