Catarse Misteriosa


Catarse Misteriosa

Posso ver uma alva face
Sob um antiquíssimo disfarce
Tramando um obscuro enlace
Uma misteriosa e duvidosa catarse

No olhar indireto o abismo
para sabotar as defesas
A beleza forjada pelo cinismo
para duvidar das certezas

No ar paira a repulsa
Por percebê-la tão avulsa
Tão inverossímil e cruel
Distante de um ilusório céu

E a ira contra a insistência
que serve ao propósito insano
me mostra detrás da inocência
o prenúncio de um mero engano.

Alexandre de Paula & Wasil Sacharuk
setembro 2009

Inspiraturas