A paranóia I



A paranóia I

A paranóia é parabólica
Devaneio de mente rica
Tal a pretensão utópica
De uma idéia não platônica

A paranóia é crença bíblica
Uma santificação canônica
Numa leitura eclesiástica
É a cegueira de uma ótica

A paranóia é tão aética
Explosão de bomba atômica
Faz a história mais caótica
Produz a mente psicótica

A paranóia não é estática
Como a incredulidade cética
Nem agnóstica nem católica
Somente uma escuta cínica

Paranóia é besteira cívica
Advogando em causa pública
A ignorância mais política
De uma democracia anárquica

É dolorida como a cólica
Sem função antibiótica
Dona de conduta cômica
E respira claustrofóbica

Wasil Sacharuk

Inspiraturas