Aos caprichos do poeta


Aos caprichos do poeta

Os poetas têm seus caprichos
Vivem em círculos umbigocêntricos
Alguns traduzem os seus bichos
E outros desfilam excêntricos

Mas quem faz poesia é artista
E a arte pressupõe o direito
De ser um maluco anarquista
Ou tirar dor e sangue do peito

E se a poesia é tal qual se diz
Então o poeta é muito feliz
Longe dos versos só há lamento

Então se tolera que empine o nariz
Pois só o poeta desliza num triz
Nas linhas tortas do discernimento.

Wasil Sacharuk

Inspiraturas