Ponta do pavio



Ponta do pavio

A voz do povo anda dizendo
que eu fiz contrato com o diabo?
Eu penso que não
lavo minhas mãos
Pois nunca deixei aberto
e jamais fiz promessas
não sou metido a esperto
mas sou do avesso
do lado que presta
e a única tribo que conheço
é a de gaúcho xucro do rincão
Se eu tivesse que deixar a musa
largada na contramão
não seria com bucha de canhão
de uma fraqueza obtusa
e mente confusa
com falta de apreço
e que paga o preço
para criar confusão

Ah, não conheço o capeta
e desconheço contrato
não fiz nenhum trato
e estou fazendo careta
escorregando a caneta
e destilando veneno da negação
Ô pobre diabo
eu sou só o Wasil
então vai pra ponta do pavio
e até outro dia
pois o meu negócio
é só poesia.

Wasil Sacharuk

Inspiraturas