Visitante Assíduo



Visitante Assíduo

Viver é um sonho
reincidente
em campos abertos
e sensações ardentes

Das ancoragens
mais inconsequentes
há confusas imagens
nascidas nos breus

É sonho em fases
manifestos dos eus
entre outros semblantes
ocultos em véus

Sonho de tempestade
a incerteza dos créditos
das honras dos méritos
e da sanidade

Sonho que voa
por sobre a cidade
enrosca corda de prata
nos prédios e matas

Deixa resíduos
em tom quase satírico
ao visitante assíduo
desse universo onírico.

Wasil Sacharuk

Inspiraturas