Tormenta



Tormenta

Já são três horas da madrugada
outra noite que passa tão lenta...
e eu diluo nessa tempestade
meus apelos... minha saudade

Te imagino nessa tormenta
com a roupa toda molhada
talvez, encolhido numa calçada
eu sinto uma angústia violenta

Já fantasiei que não é verdade
em flashes de insanidade
eu senti a tua presença
na nossa cama desarrumada

E eu caio no abismo do nada
abandonada pela minha crença
e só o que tenho vontade
é dormir até muito tarde

Se eu não fosse tão birrenta
andaria contigo na chuvarada
convencida de que estive errada
a cabeça não sente o que pensa.

Wasil Sacharuk

Inspiraturas