Passo a passo


Passo a passo

A cada louca imagem tua
mergulho num descompasso
me flagro tão fora do tom
quebro no espelho o batom

Perdida no teu espaço
devaneio a forma nua
viajo ao mundo da lua
a te marcar passo-a-passo

Pensar em ti é tão bom
tua boca falando sem som
eu agarrada em teu braço
e minha outra mão que insinua

Não sou realidade mais crua
sou o fingimento do palhaço
sou feita de papel crepon
a dissimulada ponto com

Talvez cometa o erro crasso
de te seguir pelas ruas
e se eu te encontrar não recua
pois se recuar eu te caço.

Wasil Sacharuk

Esse site é apoiado por INSPIRATURAS