Versos de papelão


Versos de papelão

Se um poema de brigadeiro
Derretesse nessa tua boca
Derrubaria a escultura
Encenação de um papelão

Sem fila e sem sorteio
Nem despida na dança louca
Se água mole a pedra fura
Com um poema abstração

Sugiro versos sem floreio
Com língua solta e voz rouca
Seja crente em qualquer jura
Sem coerência e condição

Mas nenhum poema é feio
Para quem dorme de touca
Se é a expressão mais pura
De mais um poeta sem noção.

Wasil Sacharuk

Esse site é apoiado por INSPIRATURAS