patrocinador

No amor que se sente


No amor que se sente

Cúmplice de ti eu fui quando arranhamos a vida
O desconhecido perigo... do desconhecido
Do desejo proibido, perigo... de abrir a ferida
Que mata a sanidade - a mente - lugar escondido

Cúmplice de ti eu fui ao sabor do desconhecido
No perigo escondido que mata a vida arranhada
E numa ferida aberta no lugar de uma mente
E naquela insanidade de um desejo proibido

Cumplicidade arranhada, o perigo sentido
A vida escondida de um desejo proibido
Ao sabor da ferida na abertura da mente
Cumplicidade insana no amor que se sente

Wasil Sacharuk