Proparoxítona





Proparoxítona

Proparoxítona digníssima 
Ninguém te fará colabar 
Esquecer do tom é o declínio 
E na sílaba do seu escrutínio 
Tem a força para acentuar 
No terceiro degrau acima 
Na tônica é que nasce a rima 
Dá asas para a palavra voar 
Acento da alma é o fascínio 
A arte do agudo é o desígnio 
Ou o grave a circunflexionar. 

Wasil Sacharuk


Inspiraturas