Oráculo




Oráculo

São búzios conchas da sorte
Que trazem mensagens do mar
Sem clareza e sem evidência
Confiança na clarividência

A borra de café vai revelar
Se ler do desenho o recorte
Desvelado destino o aporte
Das agruras não vai salvar

Aquecer óleos de perfumaria
Não vai destravar nenhum dia
Mas liberam os aromas no ar
Faz a cor da aura mais forte

Quiçá a divindade se importe
Os incensos aos pés a queimar
Questões para a cartomancia
De respostas com diplomacia

Um guia que manda espalmar
Sabe dia e hora para morte
Medo da vida medo do corte
Oferendas num novo alguidar

O que a arte divina anuncia
Satisfaz qualquer vida vazia
Tem sorte quem não teme amar
E a bússula aponta o norte.

Wasil Sacharuk

Esse site é apoiado por INSPIRATURAS