Não conte cada hora do dia

Não conte cada hora do dia

Não conte as horas passadas
Entre as lembranças viajando
Em um passado de contemplação
Nem num futuro incerto à razão

Não conte cada hora do dia
Mas faça-as valerem a pena
Aproveite com toda alegria
Valorize a essência da cena

Ressentimentos que vão remoendo
Dos ossos das glórias esquecidas
Das histórias mortas e enterradas
Falhas previsões a semente brotando

Não conte cada hora do dia
Mas faça-as valerem a pena
E pense em quanto valeria
Vida intensa e pouco amena

Da esterilidade que brota do chão
O tempo negligenciado pede atenção
Plantando no ontem e hoje colhendo
Molhando a semente de nossas vidas

Não conte cada hora do dia
Mas faça-as valerem a pena
Tempo passa igual ventania
Em cada hora a vida acena.

Wasil Sacharuk

Esse site é apoiado por INSPIRATURAS