Desejos Inquietos

Desejos Inquietos

Denise não foi a primeira mulher
Sequer o princípio de todos os males
Não foi criada nos trabalhos e os dias
Nem viu um titã com o fogo que ardia


Não é daquelas que vivem dos lares
O domínio do mundo sequer ela quer
Olimpo nem clero, o deus que quiser
Não é daquelas que choram pesares

Sequer acredita em algum messias
Presente de Zeus ninguém merecia
Nem chora a gota da água de Tales
A caixa secreta que guarda é seu ser

Se um dia o segredo da caixa morrer
Denise não quer nenhum grand finale
Agarrada com força em sua filosofia
Trará mais segredos em nova poesia

Poseidon vingará o choro dos mares
Até mesmo se a ira de Zeus se fizer
Haverá esperança onde a caixa estiver
Haverá denises em todos os lugares

O poder de Denise rasga a profecia
Dissimula a beleza da noite no dia
Como sacerdotisa ela guarda a chave
Que encerra na caixa o dom de viver.

Wasil Sacharuk

Inspiraturas